Guarda Civil reforça a importância das denúncias por meio da Central 153 para o enfrentamento à pandemia

Central 153 recebe denúncias de desrespeito às regras e protocolos de enfrentamento à pandemia

Neste final de semana, a equipe da Patrulha Pacto pela Vida estará em alerta para evitar situações de desrespeito às regras de enfrentamento à Covid-19 no município. Mas a Guarda Civil de Contagem reforça que é fundamental que a população seja corresponsável e denuncie eventos clandestinos, funcionamento irregular do comércio e aglomerações, para a efetiva atuação da Patrulha.

Segundo informações da corporação, nas últimas semanas, verificou-se que o número de denúncias feitas pela população reduziu drasticamente. Um levantamento feito pela Central de Operações da Guarda Civil (153) demonstra que, em março desde ano, a média era de 700 ligações/denúncias por semana; em abril, de 300 e, em maio, essa média passou a ser de 100 ligações por semana. Na semana passada, esse número caiu ainda mais. Entre os dias 20 e 27/5, a Central recebeu pouco mais de 50 ligações.

Em Contagem, casas de shows e espetáculos de qualquer natureza, eventos com venda de ingressos, boates, danceterias, salões de dança  estão proibidos de funcionar. 

Em outro canal de comunicação com a população, a Ouvidoria Municipal, também foi observada a mesma tendência de queda. De acordo com dados do setor, entre 10/3 a 22/3, o órgão recebeu 183 ligações referentes a fiscalizações e, na última semana, foram apenas sete ligações.

“A denúncia é importante, pois facilita a atuação e a mobilização dos órgãos envolvidos nas operações de fiscalização. É também fundamental esclarecer para sociedade que as ligações podem ser anônimas, isto é, o denunciante não precisa se identificar”, explica o comandante da GCC, Wedisson Luiz.

Toda ligação que chega à Central de Operações (153) é filtrada e encaminhada ao operacional para que avalie a viabilidade e a prioridade de atuação. “Em razão do tempo e da quantidade, nem sempre é possível fiscalizar o local denunciado no mesmo dia. Contudo, ele entra para o radar da Patrulha Pacto pela Vida e passa a compor uma lista de estabelecimentos e lugares que devem ser fiscalizados e monitorados no decorrer das operações”.

Para a secretária de Defesa Social de Contagem, Paola Soares, a flexibilização das atividades e a abertura gradual do comércio não podem ser encaradas como o fim da pandemia. “Essa associação por parte da sociedade é preocupante, pois ainda estamos longe do fim da pandemia. É fundamental que a sociedade participe, num pacto pela vida em que todos, poder público, comerciantes e população, sejam corresponsáveis e não negligenciam os protocolos sanitários”, ressaltou.

Em Contagem, autoridades municipais estão autorizadas a impedir o funcionamento e a suspender a realização de qualquer atividade que descumpra as exigências dos decretos municipais.

Repórter Carol Cunha

Fotos Arquivo Guarda Civil de Contagem/ Divulgação